150.000 parados por uma blusa

Ainda não foi confirmado, mas levanta-se a hipótese que o metrô 3 da linha vermelha, em São Paulo, ficou parado por duas horas e atrapalhou a vida de quase 150 mil pessoas devido a uma blusa ter ficado presa na porta automática, impedindo-a de fechar. Ao ouvir o Boris Casói, na Band News, dizer que uma blusa não possa ter feito com que tantos trens tenham ficado parados e por tanto tempo, levou-me a pensar que, sim, apenas uma blusa possa ser responsável por tanto estrago: o efeito sinérgico, ou efeito-cascata.

Sabe aquela máxima “o bater de asas na Amazônia pode causar um terremoto na Índia”? Diversos fenômenos são muito complexos ou tem tantas variáveis intervenientes que parecem aleatórios – uma simples coincidência. Porém, com a racionalidade ligada e os preconceitos desligados é possível ver a ordem ao meio do caos e perceber o padrão neste sistema complexo. E essa postura deve ser tomada por todos os cientistas, de todas as áreas: desde os  arquitetos e engenheiros (para “adivinhar” um problema de motivação obscura, salvando muitas vidas) até os profissionais de saúde – e principalmente a eles, pois muitas vezes os sintomas são distantes (às vezes opostos) e devem chegar a um diagnóstico muitas vezes conflitante.

É imprecindível, para profissionais da psicologia (principalmente quem trabalha com testes) desenvolver a habilidade de localizar padrões. Um jogo que tenho praticado bastante é o sudoku. Como é necessário que se perceba padrões em uma aparente bagunça, é ótimo para exercitar um tipo de cognição bem especial: o raciocício estratégico!

Não que eu esteja sugerindo que os técnicos do Metrô de São Paulo tenham que fazer sudoku, ou que eles erraram. Apenas quero refletir sobre um fenômeno que ocorre o tempo todo e nós, muitas vezes, negligenciamos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *