A felicidade foi apenas um sonho (resenha)

Para a disciplina de Psicologia Social 1, o professor Fábio Moraes exibiu o filme “Foi Apenas um Sonho”. De Sam Mendez, com Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, a película fala sobre o padrão de família da sociedade da década de 50 e os conflitos resultantes pelos desajustes daqueles que se desviam deste — o mesmo casal de Titanic, desta vez, interpreta com grande competência. Após o filme, pediu a turma que comparasse a obra de Freud “O mal-estar da civilização”. Aqui está o trabalho entregue a disciplina e a segunda parte deste texto pode ser lida aqui (artigo será publicado em 30/10/2010).

Continue lendo “A felicidade foi apenas um sonho (resenha)”

150.000 parados por uma blusa

Ainda não foi confirmado, mas levanta-se a hipótese que o metrô 3 da linha vermelha, em São Paulo, ficou parado por duas horas e atrapalhou a vida de quase 150 mil pessoas devido a uma blusa ter ficado presa na porta automática, impedindo-a de fechar. Ao ouvir o Boris Casói, na Band News, dizer que uma blusa não possa ter feito com que tantos trens tenham ficado parados e por tanto tempo, levou-me a pensar que, sim, apenas uma blusa possa ser responsável por tanto estrago: o efeito sinérgico, ou efeito-cascata. Continue lendo “150.000 parados por uma blusa”

Val Kilmer à primeira vista!

Este artigo é parte de uma trilogia feita para um trabalho da faculdade, da disciplina de Processos Psicológicos Básicos (grato a professora Tatiana Jacques por tudo!). Veja o índice aqui.

Para falar sobre “Cognição”, a única escolha disponibilizada pela professora foi “à Primeira Vista” (The First Shight), filme de 1999 baseado na obra do neurologista e escritor Oliver Sacks de mesmo nome. A história de um jovem cego por uma deficiência que descobre no amor a capacidade de mudar as suas vidas. A seguir, o trabalho que eu entreguei para a Tatiana. Continue lendo “Val Kilmer à primeira vista!”

Ebbinghaus, suas curvas e seu da-da-di-doo

Quartas a noite eu consegui matrícula (já na primeira semana) na disciplina de Psicologia Experimental, com a excelente doutora Carolina Lisboa (na verdade, de acordo com a Plataforma Lattes, Carolina Saraiva de Macedo Lisboa). Como não consegui ir na aula 03 (da semana passada!), também não estava na divisão dos grupos para o trabalho que será apresentado a partir da semana que vem(!!!). Graças a Deus, encontrei ela num corredor da universidade, e ela se lembrou de mim (eu realmente invejo a memória dela!). No contato ela me passou o assunto que deveria fazer o trabalho: biografia de Hermann Ebbinghaus. Continue lendo “Ebbinghaus, suas curvas e seu da-da-di-doo”